• Equipe

Golpe de 2016 vira uma trilogia dirigida por mulheres

Dado o peso histórico de uma ruptura democrática, não é de se espantar que o cinema passe a se debruçar sobre o tema de forma extensiva. Partindo desse pressuposto, existirá uma verdadeira trilogia de documentários sobre o Golpe de 2016 sofrido pela então Presidenta Dilma Rousseff, do Partido dos Trabalhadores (PT), e todos estes longas foram dirigidos por mulheres.

Primeiro tivemos o filme "O Processo", de 2018 dirigido pela Maria Ramos, vencedor como Melhor Longa-Metragem no Festival Visions du Réel na Suíça, e no Festival IndieLisboa e indicado no Grande Prêmio do Cinema Brasileiro como Melhor Longa-Metragem Documentário.


Depois tivemos o "Democracia em Vertigem", de 2019, feito pela cineasta Petra Costa, já consagrada pelo seu documentário "Elena". O filme foi indicado ao Oscar de Melhor Documentário de Longa Metragem em 2020 além de ter sido indicado na categoria de Cinema Mundial - Documentário no prestigiado Sundance Film Festival.


E agora teremos um terceiro: "Alvorada", será lançado em 2021 no Brasil no 26º Festival Internacional de Documentários: É Tudo Verdade. O filme é dirigido pela veterana Anna Muylaert em parceria com a cineasta Lô Politi. Anna Muylaert, que pela primeira vez assina um documentário de longa-metragem, conta que “o palácio é essencial à narrativa”. Afinal, foi nele que Dilma Rousseff viveu seus últimos dias como presidente da República.


“O filme não sai do Palácio”. As duas diretoras escolheram narrar os últimos meses presidenciais de Dilma “a partir do espaço do Palácio, onde tudo o que acontece, acontece dentro e em volta dela”. Anna e Lô, que tiveram pleno acesso à presidenta ao longo de vários meses, buscaram “um ponto de vista íntimo, o dia-a-dia da presidente na sua residência oficial, enquanto ela aguardava o veredito de impeachment”. Um julgamento que “acabou afastando a primeira mulher-presidenta do Brasil”.


Confira a sinopse dos três filmes:


 

O Processo - Maria Augusta Ramos (2018)

O documentário acompanha a crise política que afeta o Brasil desde 2013 sem nenhum tipo de abordagem direta, como entrevistas ou intervenções nos acontecimentos. A diretora Maria Augusta Ramos passou meses no Planalto e no Congresso Nacional captando imagens sobre votações e discussões que culminaram com a destituição da presidenta Dilma Rousseff do cargo.


Democracia em Vertigem - Petra Costa (2019)

Com acesso privilegiado a Dilma, Lula, Bolsonaro e outros políticos importantes, Petra Costa entrelaça o pessoal e o político para narrar um momento decisivo da história recente do Brasil, também considerado como "uma advertência a todas as democracias do mundo". Em uma sucessão de eventos que se assemelha a um filme de suspense, o documentário captura intimamente os três presidentes enquanto eles lutam por suas vidas políticas, além de mostrar o dano colateral que essa luta teve sobre a democracia.


Alvorada - Anna Muylaert (2020)

“Alvorada” registra os momentos finais da presidente Dilma Rousseff no palácio criado por Oscar Niemeyer. Um palácio que Darcy Ribeiro costumava comparar a uma alva tenda árabe arrematada com colunas niemáricas, tão importantes quanto as colunas jônicas dos templos gregos. Muylaert e Lô Politi, com César Charlone assinando as imagens, acompanharam a primeira mulher eleita para o Executivo Federal até que ela, vítima de impeachment, se despedisse dos funcionários, arrumasse as malas e partisse.


Escrito por Gabriel Pinheiro


0 comentário